A manhã da última segunda-feira de julho começou cedo para nós que tínhamos como destino Santiago de Compostela. Eu que fazia a peregrinação pela primeira vez não tinha a mínima ideia daquilo que estava à minha espera…

 E num simples piscar de olhos o desconhecido tornou-se conhecido, o longe ficou mais próximo e as inseguranças que tinha em relação a toda esta aventura foram convertidas numa enorme vontade de regressar. Regressar a Santiago. Regressar ao caminho. Àquele caminho que todos nós percorremos, passo após passo, quilómetro após quilómetro… Mesmo com dores, mesmo com bolhas, mesmo com todas estas adversidades que nos podiam fazer desistir mas que, pelo contrário, nos deram mais força para continuar a caminhar.

Continuar a caminhar, não importa as dificuldades, é uma das lições que tiro desta peregrinação. Continuar a seguir o caminho que Deus mete à nossa frente. Este caminho que por vezes é feito na escuridão e que outras vezes é feito na luz, que por vezes é fácil de percorrer, mas outras vezes tem curvas atrás de curvas, que por vezes é plano mas que noutras vezes tem subidas e descidas… E a atitude que devemos ter perante tudo isto pode ser resumida numa simples frase: “Toma a tua cruz e segue-Me”…

E chegamos finalmente a Santiago! Uma alegria que não pode ser contida dentro de nós e que se expressa sob a forma de músicas, que cantamos de coração cheio ao chegar, e através dos nossos sorrisos.
Mas não é aqui que terminamos a nossa caminhada… De Aveiro até Santiago e de Santiago para o mundo!
Luísa Duarte

Categorias: Informações