Pages Navigation Menu

Dar as mãos para sermos muitos – Nota Pastoral

Dar as mãos para sermos muitos

 

Que fazer? Vamos resignar-nos a uma chaga com tais dimensões, como se de uma fatalidade impossível de contrariar se tratasse? De modo algum. Estamos convencidos de que as causas do flagelo dependem direta ou indiretamente da vontade humana. E, como tal, só pode prevenir-se ou combater-se com eficácia, se todos nós, desde o cidadão mais simples ao mais responsável, em vez de vãs lamentações, mudarmos realmente de mentalidade e de hábitos sociais. Quais?

 

Sim. Que fazer perante a tragédia que assolou tanta população do nosso país e, concretamente, da diocese de Aveiro, não podendo a Igreja ficar indiferente ao drama de tantos concidadãos? Vimos, pois, reafirmar a nossa comunhão e caridade cristã para com todos os afetados, lembrando as palavras dos nossos bispos portugueses na sua Nota pastoral sobre os incêndios do passado mês de abril.

Os que faleceram entregamo-los à misericórdia de Deus, na certeza de que na fé em Cristo ressuscitado se enxugarão todas as lágrimas; aos que perderam os seus bens queremos, juntamente com todos eles, ajudar a reerguer as suas vidas na esperança de que um novo renascer é possível.

Não podemos ficar de braços cruzados. Para isso apresentamos alguns caminhos possíveis de ajuda às nossas populações:

1º A nossa caridade cristã, no imediato, passa pelo levantamento das necessidades mais urgentes das nossas famílias e para isso vamos realizar um encontro em Vagos com os párocos e alguns leigos das zonas mais atingidas, depois de amanhã, sexta-feira.

2º A coordenação de toda esta ajuda está entregue à Caritas Diocesana de Aveiro.

3º Os fundos a recolher são depositados na conta em nome do Fundo Diocesano de Emergência Social, da responsabilidade da Caritas Diocesana de Aveiro e cujo nº é: PT50 0010 0000 4955 3880 1011 6.

 

4º Não queremos deixar de realçar que a nossa colaboração com as entidades civis envolvidas no terreno é de total disponibilidade. Nos casos mais urgentes é bom contactar as respetivas paróquias.

Acreditamos que dando as mãos poderemos aliviar o sofrimento de tantos irmãos nossos e, por isso, apelo às nossas comunidades cristãs e a todos os homens e mulheres de boa vontade para que sejamos generosos e os párocos deem a conhecer esta Nota Pastoral em todas as Eucaristias do próximo fim-de-semana.

O meu fraterno afeto.

Aveiro, 18 de outubro de 2017.

+ António Manuel Moiteiro Ramos, Bispo de Aveiro.

 

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

  • Facebook
  • Google+
  • Twitter
  • YouTube