Pages Navigation Menu

“Jesus viu e compadeceu-se” – caminhada quaresmal

Secretariado Diocesano da Educação Cristã

Caminhada | Quaresma 2018

“Jesus viu e compadeceu-se”

 


FUNDAMENTAÇÃO

  1. A proposta de caminhada da Quaresma insere-se naturalmente no objetivo geral do Plano Diocesano para este ano pastoral: Promover uma Igreja Diocesana que vive a caridade na alegria da misericórdia, consciente de que o exercício da caridade é próprio do ser da Igreja e está alicerçado no seguimento de Jesus. Nesta linha do seguimento é apresentado o estudo do Evangelho de Marcos em ordem à compreensão de que o exercício da caridade está alicerçado no seguimento de Jesus.

 

  1. O texto de Marcos que serve de pano de fundo ao Plano diocesano é o da multiplicação dos pães: Mc 6,4-44.

“Ao desembarcar, Jesus viu uma grande multidão e compadeceu-se, porque eram como ovelhas sem pastor. Começou, então, a ensinar-lhes muitas coisas. A hora já ia muito adiantada, quando os discípulos se aproximaram e disseram: «O lugar é deserto e a hora vai adiantada. Manda-os embora, para irem aos campos e aldeias comprar de comer». Jesus respondeu: «Dai-lhes vós mesmos de comer». Eles disseram-lhe: «Vamos comprar duzentos denários de pão para lhes dar de comer?» Mas Ele perguntou: «Quantos pães tendes? Ide ver». Depois de se informarem, responderam: «Cinco pães e dois peixes». Ordenou-lhes que os mandassem sentar por grupos na erva verde. E sentaram-se, por grupos de cem e cinquenta.”

Os discípulos enviados em missão regressam e prestam contas a Jesus de quanto fizeram e ensinaram e são convidados a ir para um lugar deserto longe das multidões. A intenção de Jesus é boa: é necessário descansar um pouco para retemperar as forças.

Porém, a multidão percebe que Jesus tinha ido para outra margem e vai atrás dele. Quando Jesus sai do barco e vê aquela multidão que O espera, sente compaixão «porque eram como ovelhas sem pastor». É a compaixão que move Jesus a acolher a multidão, apesar da Sua tentativa de afastamento da mesma. Não se trata dum vago sentimento de comoção, mas duma emoção profunda, visceral, como indica o verbo grego usado (splagknizomai – compadecer-se, sentir compaixão; spagkna, em grego, significa vísceras). Em toda a Bíblia, este verbo só é referido a Deus e a Jesus. Significa «ter vísceras de compaixão, experimentar comoção visceral, misericórdia e ternura»; é o apertar do coração perante qualquer miséria humana. É assim que Jesus sente e age; é assim que Deus sente e age. Diante daquela gente sem pastor, Jesus esquece-se do repouso e começa a ensinar, a ser pastor, orientando a multidão no deserto da vida. O tempo passa. Os discípulos começaram a ficar preocupados, pedindo a Jesus que despedisse aquela gente. Ali, naquele lugar deserto é impossível encontrar comida para tanta gente.

Porém, para Jesus o lugar deserto onde se encontravam é o espaço para dar o alimento de que aquela gente precisa: o alimento da Palavra e o alimento do pão que se vai seguir, querendo envolver os discípulos: «Dai-lhes vós de comer». Esta proposta assusta os discípulos. Feitas rapidamente as contas, seriam precisos 200 denários (200 dias de salário) para alimentar aquela gente. Os discípulos procuram a solução fora da multidão e para a multidão. Jesus procura a solução no seio da multidão e pergunta: «Quantos pães tendes?». A resposta é fácil: «Cinco pães e dois peixes», mas o que é isso para tanta gente? Jesus ordena à multidão que se sente em grupos e pede aos discípulos que distribuam os pães e os peixes. (Todos comeram e ficaram saciados).

O texto continua com uma dupla lição: só a partir da ação humana comprometida (mas aparentemente pequena) é que Jesus realiza o milagre; este pão abençoado e distribuído, pela maneira como Marcos descreve a ação de Jesus, recorda um outro gesto de Jesus na Última Ceia.

 

  1. O lema: «Jesus viu e compadeceu-se» resume o sentido profundo deste texto que nos ensina o que significa ser discípulo de Jesus – aprender com Ele a ver, a olhar com amor, a ensinar, a agir, tentando ajudar os outros com os meios de que dispõe.

Nota – Para ajudar à compreensão e reflexão, sobretudo para os adultos, pode servir a proposta de Lectio Divina.

 


OBJETIVOS

1.º – Ajudar a comunidade cristã (crianças, adolescentes, jovens e adultos) a viver a caridade na alegria da misericórdia ao longo do tempo da Quaresma.

2.º – Celebrar e viver a Quaresma e a Páscoa fundamentados na Palavra de Deus e nas propostas da diocese para este ano pastoral.

 


QUADRO/RESUMO – CRIANÇAS

Cruz e desafios semanais – crianças

 

QUADRO/RESUMO – ADOLESCENTES

Cruz e desafios semanais – adolescentes

 

QUADRO/RESUMO – JOVENS

 


+ INFO: catequese@diocese-aveiro.pt

 

 


 

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

  • Facebook
  • Google+
  • Twitter
  • YouTube