Pages Navigation Menu

40 anos do Santuário de Schoenstatt na Diocese de Aveiro

O Santuário da Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt na Diocese de Aveiro, celebra este ano o jubileu dos 40 anos da sua bênção que se realizou a 21 de outubro de 1979. A partir dessa data, tornou-se realidade o que o Padre José Kentenich, fundador do Movimento Apostólico de Schoenstatt, disse a 18 de outubro de 1914 no ato fundacional do Santuário Original, na Alemanha, ao revelar aos jovens do Seminário de Schoenstatt: “Não seria possível que agora a capelinha da nossa Congregação se tornasse também o nosso Tabor, no qual se revela a glória de Maria? Não podemos, sem dúvida, realizar uma ação apostólica maior, não podemos legar aos nossos sucessores uma herança mais valiosa, do que mover Nossa Senhora e Rainha a estabelecer aqui, de maneira especial, o seu trono, a distribuir os seus tesouros e a operar milagres da graça.”

Em 1979, estas mesmas palavras tornaram-se realidade no pequeno pedacinho de terra, na Colónia Agrícola da Gafanha da Nazaré, em Portugal, transformando a capela construída com amor e suor pelas mãos dos próprios membros da Família de Schoenstatt, em lugar de graças, em Santuário.

Em 1993, o Bispo diocesano de então, D. António Marcelino, declarou o Santuário de Schoenstatt “Santuário Diocesano”.

Ao longo dos próximos meses, de modo especial, através da nossa oração e ação missionária, queremos dar a conhecer o grande tesouro que nos é confiado e pedir a Nossa Senhora que faça jorrar as graças do seu Santuário em todas as Paróquias da nossa Diocese.

Nestes nove meses de preparação para a celebração dos 40 anos do Santuário de Aveiro, todos os dias 21 (às 21 horas) de cada mês vamos ter uma novena no Santuário, em que todos podem participar.

Por isso, neste tempo de preparação, renovemos em nós a consciência de que a raiz do nosso Santuário e da Família de Schoenstatt é a Aliança de Amor com Maria. Esse ato de fé silencioso do Padre José Kentenich, de José Engling e de um pequeno grupo de jovens permanece vivo em nós com toda a sua força original. A fonte da nossa fecundidade e a forma concreta de viver o nosso seguimento a Cristo é a profunda fé na realidade da Aliança de Amor com Maria, que deu origem ao Santuário. É o que queremos celebrar no jubileu em outubro de 2019.

 

Paulo Teixeira/ Equipa de Comunicação e Divulgação do Jubileu

:: história do Santuário de Aveiro ::

 

 


 

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

  • Facebook
  • Google+
  • Twitter
  • YouTube