Pages Navigation Menu

Maria, Mãe cheia de doçura

Maria, Mãe cheia de doçura

Ontem fomos Visitar a gruta de Lourdes construída pelos Padres Agostinhos. “Lourdes” esta palavra faz vibrar as cordas mais sensíveis do cristão. Quem não se sente comovido ao pronunciá-la! Significa um céu no desterro. Leva envolto no seu manto de mistério tudo o que de grande é capaz de sentir o coração católico.

O seu nome traz ao de cima as recordações passadas e comove os sentimentos íntimos da nossa alma. Esta palavra encerra alegria, paz sobrenatural, onde o peregrino fatigado do caminho pesaroso da vida pode descansar; pode deixar a sua bagagem, que são as misérias humanas, e abrir o seu interior para receber a água do consolo, da Virgem Mãe. É onde as lágrimas do pobre se confundem com as do rico, onde todos encontram uma mãe que os olha e sorri. E esse olhar e sorriso celestial faz despertar no coração um sentimento de felicidade que o enche de esperança e o faz amar aquilo que não passa, que é divino.

Sim, Mãe, Tu és a Senhora Celestial que nos guia. Tu deixaste cair das tuas mãos maternais raios do céu. Não acreditava que existisse a felicidade na terra; mas ontem o meu coração sedento dela encontrou-a. A minha alma extasiada aos teus pés escutava-Te. Eras Tu a que me falavas, e a Tua linguagem de Mãe era tão terna…era do céu, quase divina.

Quem não se anima, ao ver-te tão pura, tão terna, tão compassiva, diante das suas dificuldades e tormentos interiores? Quem não te pedirá para seres Tu a sua estrela neste mar tão tempestuoso? Quem não chorará entre os teus braços sem receber os teus beijos de imaculados de amor e de consolo? Se é pecador, as tuas carícias o enternecem. Se é teu fiel devoto, a Tua presença ateia a chama do amor divino. Se é pobre, Tu com a Tua mão poderosa o socorres e mostras-lhe a verdadeira pátria. Se é rico, susténs-no com o teu alento contra os obstáculos da sua vida agitadíssima. Se está aflito, Tu, com o teu olhar lacrimoso, mostras-lhe a Cruz e, nela, o Teu divino Filho. E quem não encontra um balsamo para as suas penas ao considerar os tormentos de Jesus e de Maria? O Doente, por último, acha no seu seio materno a água da salvação, que esta doce Mãe, deixa jorrar com o seu encantador sorriso, que o faz sorrir de amor e felicidade.

Sim, Maria és a Mãe do Universo inteiro. O Teu Coração está cheio de doçura. Aos teus pés se prostram com a mesma confiança o Sacerdote e cada pessoa para encontrar no Teu regaço o Amor das Tuas entranhas. O rico como o pobre para encontrar no Teu Coração o seu Céu. O angustiado como o feliz para encontrar nos teus lábios o celestial sorriso. O doente como o são para encontrar nas tuas doces mãos as caricias divinas. E por fim, o pecador, como eu, encontra em Ti a Mãe protectora, que sob os seus pés imaculados esmagou a cabeça do dragão; enquanto nos teus olhos descobre a misericórdia, o perdão e o farol luminoso, para não cair nas águas pantanosas águas do pecado.

Minha Mãe, em Ti se encontra o céu. Neste santuário, Deus estava no altar rodeado de Anjos, e Tu, desde o Teu lugar apresentavas-lhe os clamores da multidão ajoelhada diante do altar. E lhe pedias que atendesse as súplicas do pobre desterrado neste vale de lágrimas, ao mesmo tempo, que entre cânticos, as pessoas te ofereciam um coração cheio de amor e gratidão.

Combinei com a Santíssima Virgem que seja ela o meu Sacerdote que me ofereça a cada momento pelos pecadores, mas banhada pelo Sangue do Coração de Jesus. Faça como eu. Vivamos dentro desse Coração para nos unirmos em silêncio à Virgem, às suas adorações e reparações. Com Ela louvemos a Santíssima Trindade.

Teresa de Jesus dos Andes,

Carmelita


www.carmeloaveiro.carmelitas.pt


 

  • Facebook
  • Google+
  • Twitter
  • YouTube