Pages Navigation Menu

D. ANTÓNIO BALTASAR MARCELINO – ALGUMAS DATAS BIOGRÁFICAS

img 000

::: D. ANTÓNIO BALTASAR MARCELINO :::

ALGUMAS DATAS BIOGRÁFICAS

 

1930

21 setembro – Nasce António Baltasar Marcelino, em Lousa, Castelo Branco, filho de Maria Cajado e Manuel Almeida Marcelino.

 

1942

Entra no Seminário Menor de Gavião. Os anos da Filosofia são feitos no Seminário de Alcains.

 

1950

No Seminário de Marvão, que funciona como Seminário Maior, fica tuberculoso, pelo que tem de interromper os estudos durante um ano. Tem o apoio decisivo de D. António Ferreira Gomes, de quem recebe as ordens menores.

 

1955

9 junho – É ordenado presbítero na Catedral de Castelo Branco, por D. Agostinho Moura. Reza Missa Nova no dia 12. Pe. António Marcelino vai para Roma estudar Direito Canónico, sabendo que, ao regressar, o espera o Seminário Maior de Portalegre, inaugurado em Outubro deste ano.

 

1958

Dá aulas de Direito Canónico, Teologia Moral, Missionologia, Acção Católica e Filosofia, no Seminário Maior de Portalegre.

Nesta época, introduz os Cursos de Cristandade na Diocese de Portalegre, depois de uma viagem a Espanha para estudar o seu funcionamento.

 

1961

Escrevendo nos jornais “Reconquista” (de Castelo Branco) e “Distrito de Portalegre”, publica neste ano uma série de artigos sobre a reforma agrária que causam grande polémica. Alguns dos seus textos de imprensa são cortados pela Censura.

 

1962-1965 –II Concílio Vaticano.

Pe. António Marcelino cria uma “comissão pré-concílio”, que recebe, traduz, adapta e divulga os documentos saídos da reunião magna dos bispos do mundo inteiro. Com outros colaboradores, forma uma escola de formação de leigos, com núcleos em Abrantes, Portalegre e Castelo Branco.

 

1969

Nomeado delegado de D. Agostinho Moura para a formação do Instituto Superior de Teologia e Humanidades, no Porto, onde estudam os seminaristas maiores de dioceses como Portalegre e Castelo Branco, mas também de Aveiro e de Vila Real.

 

1972-1975

Director do Secretariado Nacional da Pastoral, dependente da Conferência Episcopal Portuguesa.

 

1975

15 julho – Nomeado Bispo Auxiliar do Patriarca de Lisboa, com o título de Bispo de Cércina.

21 setembro – Ordenado Bispo na Catedral de Portalegre por D. António Ribeiro. Enquanto Bispo Auxiliar em Lisboa é responsável pela zona pastoral do Oeste (Mafra, Caldas, Torres Vedras…)

 

1975-81

Presidente da Comissão Episcopal das Comunicações Sociais (dois mandatos). Está na origem do programa 70×7.

 

1980

Participa no Sínodo dos Bispos sobre a Família, em Roma, onde intervém sobre a “família e os meios de comunicação social”:

 

1980

19 dezembro – É nomeado Coadjutor do Bispo de Aveiro, sem direito a sucessão.

 

1981

1 fevereiro – Início do ministério episcopal de D. António Marcelino, em Aveiro

 

1981-87

Preside à Comissão Episcopal da Acção Social e Caritativa (dois mandatos). Neste período são criadas as jornadas de Pastoral Social, para formação dos agentes.

 

1983

8 setembro – D. António Marcelino passa a ter direito de sucessão.

 

1987-93

Preside à Comissão Episcopal da Família (dois mandatos), criando as jornadas de Pastoral Familiar.

 

1988

20 janeiro – Bispo de Aveiro.

Em Maio ordena os primeiros diáconos permanentes da diocese.

Realiza-se o Congresso dos Leigos e D. António anuncia a realização do II Sínodo Diocesano.

 

1989

Constituição do Instituto Superior de Ciências Religiosas de Aveiro – ISCRA.

 

1990-1995

Sínodo Diocesano de Aveiro

 

1991

Participa no I Sínodo dos Bispos sobre a Europa.

É inaugurado o edifício do Centro Universitário Fé e Cultura, em Aveiro.

 

1992

Institui o Fundo Diocesano de Compensação do Clero.

 

1993-99

D. António integra o Conselho Permanente da CEP. É presidente da Comissão Episcopal do Apostolado dos Leigos, criando as jornadas e o Fórum da Acção Católica.

 

1999-2005

É vice-presidente da Conferência Episcopal Portuguesa.

 

1999

Participa no II Sínodo da Europa (por eleição da CEP). As suas intervenções, ao lado do Cardeal Martini, então bispo de Milão, obtêm grande eco na imprensa internacional por ter sugerido que “o estatuto das mulheres na Igreja é uma questão por resolver”.

 

1999

Preside à visita “ad sacra limina” (visita que os bispos, por países, fazem periodicamente ao Papa), por impossibilidade do presidente da CEP, D. José Policarpo.

 

2000

O primeiro-ministro António Guterres impõe a D. António a Grã-Cruz da Ordem de Mérito, atribuída pelo presidente Jorge Sampaio. A Câmara Municipal, posteriormente, atribui-lhe a Medalha de Ouro do Município.

 

2004

Conclusão do Sínodo sobre os Jovens de Aveiro

 

2005

10 a 12 de junho – Congresso Eucarístico, no encerramento comemoram-se 50 anos do seu Sacerdócio. Em dezembro, é atribuída a D. António a Medalha de Ouro da Universidade de Aveiro.

 

2006

24 setembro – Anuncia à Diocese o seu sucessor: D. António Francisco dos Santos.

 

2011

Vogal da Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé.

Publica o livro “Pedaços de vida que geram vida”.

 

2012

Publica o IVº Volume de “A vida também se lê”.

 

2013

9 outubro – Falecimento no Hospital Infante D. Pedro – Aveiro.

 

 imgd

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

  • Facebook
  • Google+
  • Twitter
  • YouTube