S. Francisco de Assis[1]

Francisco nasceu em 1182, filho de um rico comerciante de tecidos e de uma mulher nobre. Durante a sua juventude, foi um rapaz orgulhoso, vaidoso e boémio. 

Por isto, Francisco sempre desejou realizar grandes feitos o que fez com que, aos 20 anos, se alistasse para combater na guerra entre Assis e Perugia e, mais tarde, para a Cruzada. Quando regressou da guerra, doente e abalado, estava irreconhecível e, para além da experiência no conflito, algo tinha afetado a sua alma profundamente.

Um novo rumo

“Por que te inquietas em buscar o servo em vez do Senhor?” foi a pergunta que lhe foi feita num sonho e que estava sempre presente na sua cabeça. Deste modo, a sua vida mudou completamente e tomou um novo sentido, sendo guiado pelo desejo de saber o seu papel e cumpri-lo segundo a vontade de Deus. Este desejo levou-o a compadecer-se de todos quantos eram alvo de desprezo.

Quando estava numa pequena igreja abandonada em São Damião, Francisco voltou a ouvir a voz que lhe falara outrora em sonhos: “Francisco, vai e restaura a minha Igreja, que como vês, está em ruína”. Inicialmente, Francisco interpretou esse chamamento de forma literal, mas veio a entender, mais tarde, que a sua missão abrangia horizontes maiores: era necessária uma “reconstrução” da Igreja que, à época, se encontrava dividida.

A “Senhora Pobreza”

A alegria que sentia ao sentir-se amado pelo Pai e ao seu dispor aumentou ainda mais a vontade de viver sem nada, levando-o a deixar todos os seus bens aos pobres. O seu pai, que tinha outras ambições para o filho, afirmou-se contra as suas escolhas. Francisco renunciou veementemente a toda a riqueza, removendo até as suas roupas no tribunal do Bispo Guido e desposando a “Senhora Pobreza”. 

Vários homens quiseram-se juntar a Francisco e queriam, como ele, viver o Evangelho em pobreza, castidade e obediência. Em 1209, este grupo deslocou-se até Roma e o Papa Inocêncio III aprovou a Regra que foi confirmada definitivamente 14 anos depois por Honório III.

O carisma de Francisco chegou ainda até Clara, uma nobre de Assis. Este acolheu-a, dando início à segunda Ordem Franciscana – as Clarissas. Fundou também uma Terceira Ordem para os leigos.

O seu legado

Conhecido também pelo seu amor pela obra do Criador, Francisco evidencia esse traço quando, já frágil e debilitado, compõe e canta o Cântico do Irmão Sol ou das Criaturas. Faleceu a 3 de outubro de 1226, com apenas 44 anos.

Foi canonizado por Gregório IX, em 1228, e o seu espírito continua a inspirar o diálogo, a verdade e a caridade.


[1] https://www.vaticannews.va/pt/santo-do-dia/10/04/s–francisco-de-assis–fundador-da-ordem-franciscana–padroeiro-.html

https://santo.cancaonova.com/santo/sao-francisco-de-assis-o-santo-que-desposou-a-pobreza/

https://ofm.org.pt/franciscanos/sao-francisco-de-assis/

Categorias: CUFC Celebra