Pages Navigation Menu

Consagração do novo altar de Igreja Matriz de Oliveira do Bairro

Dedicada ao Arcanjo São Miguel, a Igreja Matriz de Oliveira do Bairro data do século XVI, com exceção da fachada e da torre que são do final do século XIX. O interior da Igreja é de grande interesse histórico e cultural, principalmente pelo barroco dos seus retábulos de madeira em talha dourada e por algumas das suas imagens, destacando-se a Nossa Senhora dos Anjos. No dia 17 de novembro, D. António Moiteiro inaugurou as obras, consagrando o novo altar.

As cadeiras da presidência, bem como o altar e o ambão, são esculturas de Paulo Neves (artista de Cucujães), em madeira de cedro – árvore bíblica (“os cedros do Líbano”) – “em bruto”, ou seja, sem qualquer verniz. Sempre presente a espiral, símbolo de vida, de dinamismo, do amor de Deus que irradia através de Jesus e da sua Igreja.

O altar é uma peça que se destaca na renovada Igreja de São Miguel. É formado por doze colunas, que evidentemente remetem para os doze apóstolos, participantes da Última Ceia e colunas da Igreja. Sendo um altar, é o local da imolação, do sacrifício de Jesus por todos. Mas é também a mesa da refeição, do banquete, da fraternidade, do convívio, da reunião da família cristã.

A reserva dos santos óleos está ligada à pia batismal. No batismo, início da vida cristã, é usado um dos óleos. E é o Batismo que abre a porta da vida cristã, na qual será o usado o óleo do Crisma (que serve para o sacramento da Confirmação, mas também para ordenações sacerdotais e episcopais e para consagração de igrejas e altares) ou o da Unção dos Doentes.

As obras foram grandes e longas, do chão ao telhado. Começaram em 2005 com o P.e António de Almeida Cruz, continuaram com os padres Francisco Martins, Mário Ferreira e Leonel Abrantes e foram assumidas em 2017 pelo P.e Francisco Melo (na foto, à direita, com o P.e Pedro José, vigário paroquial). O pároco realça a generosidade da comunidade, que investiu no templo, nos dois últimos anos, cerca de 250 mil euros.

Texto e fotos: Correio do Vouga, 27 de novembro de 2019

 

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

  • Facebook
  • Google+
  • Twitter
  • YouTube